Dartagnan & Stein Advogados Associados

conteúdos

artigo
Dr. Dartagnan Limberger Costa 24/06/2019

Liquidez Empresarial

 
                Um dos pontos fundamentais do entendimento da “saúde” empresarial perpassa necessariamente com a capacidade de vislumbrar e entender a sua liquidez.
 
                A liquidez de uma empresa, através de suas declarações contábeis, pode ensejar a realização ou não de terminado negócio. Muitos entes públicos, em processo de licitação, também fazem essa análise para viabilizarem ou não os serviços de aludida empresa.
 
                As principais análise de liquidez tem relação com a liquidez corrente, a liquidez geral e a solvência geral.
 
                Em regra, são essas três análises que permitirão a melhor análise da situação da empresa no que tange a sua liquidez.
 
                A liquidez corrente decorre da seguinte fórmula: Se divide o Ativo Circulante pelo Passivo Circulante. Se o resultado for igual a 1 ou superior a 1, a empresa possui uma liquidez corrente adequada. Ou seja, possui recursos suficientes para arcar com suas obrigações de curta prazo e, mormente, operacionais.
 
                A liquidez geral de uma empresa tem a seguinte fórmula: Ativo Circulante somado ao Realizável a Longo Prazo dividido pela soma do Passivo Circulante somado ao Passivo não circulante. Caso o valor obtido seja igual ou superior a 1, a empresa possui liquidez geral. Possuindo liquidez geral, a empresa possui viabilidade de realização tranquila de seu objeto social.
 
                A solvência geral é entendida através da seguinte fórmula: Ativo TOTAL dividido pela soma do Passivo Circulante e do Passivo Não Circulante. O resultado deve ser igual ou superior a 1. Sendo obtido tal índice, a empresa tem condições de pagamento de seus débitos. Ela possui garantias suficientes para arcar com suas dívidas.
 
                Analisando o que foi escrito até o momento, até parece possuir uma certa facilidade nas fórmulas expostas e na consequente obtenção do resultado atinente. Mas isso não é verdade, pois a aplicação das fórmulas esta diretamente relacionada com as informações que são prestadas pela empresa, seus administradores e contadores.
 
                Nem sempre o que é informado coincide com a realidade da empresa. Dessa forma, é imperioso que em uma análise de liquidez da empresa, outras informações sejam solicitadas, mormente o livro diário e o livro razão. Dependendo da empresa, o SPED será suficiente para que sejam analisadas as informações prestadas.
 
                JAMAIS se deve fazer qualquer tipo de negócio envolvendo compra e venda de empresa sem uma análise documental adequada, a qual perpassa os meros demonstrativos contábeis (Balanço social, DRE, DFC, etc.).
 
Liquidez, Empresa, Fórmulas, Balanço Social, Validade, Avaliação
  • COMPARTILHE:

Acreditamos no diálogo, contate-nos.


* Campos com asterisco (*) são obrigatórios
Contate-nos via Whatsapp